A área de estudo do GestAquaAdaPT é delimitada pelas bacias hidrográficas das albufeiras de Monte Novo e Vigia, localizadas na bacia hidrográfica do rio Degebe, um dos principais afluentes e ramo da albufeira de Alqueva e onde se localiza a principal tomada de água do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva (EFMA), a captação dos Álamos. Estas duas albufeiras fazem parte do sistema de abastecimento para consumo humano nos concelhos de Évora, Redondo e Reguengos, representando também importante fonte de água para irrigação na região. Dado o carácter multiusos e as características fisiográficas e climáticas das bacias hidrográficas este sistema hídrico pode ser considerado representativo da região Mediterrânica, em que os problemas de escassez e de qualidade da água têm vindo a ser foco de maior atenção em particular face aos efeitos de potenciais alterações climáticas.


O que determinou a escolhas dos casos de estudo?


Os factores descritos constituem riscos efectivos para a disponibilidade hídrica e são claramente determinados em função dos impactes de alterações climáticas. Estes são riscos presentes e representam uma grande preocupação na gestão dos recursos hídricos na região.

Albufeira do Monte Novo

Nesta albufeira localiza se a principal captação de água para consumo humano nos concelhos de Évora Redondo e Reguengos, a qual é gerida pela empresa Águas de Lisboa e Vale do Tejo, sendo também relevante o uso de água para rega de áreas agrícolas na bacia hidrográfica. Em 2012 e como forma de suprir necessidades de água foi instalada uma infra-estrutura de transporte de água a partir da albufeira de Alqueva.


Características da albufeira de Monte Novo

Área inundada ao NPA - 277 ha Capacidade total - 15,28 hm3
Capacidade útil - 14,78 hm3 Nível de pleno armazenamento (NPA) - 196 m
Nível de máxima cheia (NMC) - 196,8 m Nível Mínimo de Exploração (NmE) - 183,5 m

Albufeira de Vigia

A albufeira de Vigia tem como uso principal a irrigação mas dispõe também de captação de água para consumo humano. A gestão da captação de água para rega é gerida pela Associação de Beneficiários da Obra da Vigia sendo a captação para consumo operada pela Águas de Lisboa a Vale do Tejo. Desde o ano de 2015 está disponível uma infra-estrutura de transferência de água a partir da albufeira de Alqueva.



Características da albufeira da Vigia

Área inundada ao NPA – 262 ha Capacidade total - 16,7 hm3
Capacidade útil - 15,6 hm3 Nível de pleno armazenamento (NPA) - 224 m
Nível de máxima cheia (NMC) - 224,75 m Nível Mínimo de Exploração (NmE) - 210 m

Uso do Solo

O principal uso do solo na região é a agricultura, com diversos sistemas cultural, onde se destaca o olival e nos últimos anos tem vindo a aumentar a área de vinha. Existem ainda outras culturas como milho, girassol, tomate, árvores de fruto e cucurbitáceas.


Clima

O clima da área de estudo caracteriza se por grandes amplitudes térmicas anuais e grandes diferenças de precipitação entre os meses de Inverno e de Verão. São frequentes os períodos de seca sendo também característica a ocorrência de períodos de precipitação muito elevada.



Coordenador do Projecto

Paulo Alexandre Diogo (FCT-UNL, MARE)

+351 212 948 397
contact@gestaqua.adapt.pt
pad@fct.unl.pt

© 2016 | All rights reserved | ManchaCriativa